Política

Comissão de Direitos Humanos da Assembleia constata falhas nos serviços dos ferryboats

Anúncios

Ferryboats com kit incompleto de primeiros socorros, falhas na acessibilidade, falta de higiene e de conforto. Esses são alguns dos problemas detectados pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, que realizou, na segunda-feira (10), vistoria nesse transporte. Participaram da fiscalização os deputados Duarte Jr, presidente da Comissão; Wellington do Curso e Thaiza Hortegal, autora do requerimento solicitando a verificação in loco nos ferryboats que fazem a travessia de São Luís ao Posto do Cujupe.

Também acompanharam a ação a Agência Estadual de Mobilidade Urbana (MOB), a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), a Capitania dos Portos, Vigilância Sanitária e o Procon.

Os parlamentares fiscalizaram os ferryboats “Cidade de Alcântara”, da empresa Internacional Marítima, que partiu de São Luís para o Terminal de Cujupe, em Alcântara, onde também foi vistoriado o ferry “Cidade de Araioses”, da empresa Serviporto. Nesta última embarcação, os parlamentares constataram irregularidades até mesmo na disposição dos coletes salva-vidas.

“Eles ficam completamente distantes dos consumidores e não há uma distinção de tamanho dos coletes. Não há qualquer informação para que o consumidor, num momento de emergência, possa se socorrer com mais qualidade”, observou deputado Duarte Jr.

Outros problemas identificados foram no botão de pânico do banheiro, que não está funcionando, e não há barra de segurança nos banheiros. Também verificaram a não disponibilização de pagamento com cartão de débito e crédito dos produtos vendidos no local, além da oferta de alimentos sem informação de preço e a não emissão de nota fiscal, “que é um direito básico do consumidor, de acordo com a Lei nº 8846/94”, informou Duarte.

%%footer%%

Categorias:Política, slider

Deixe uma resposta