Cidades

Douglas Martins explica decisão da prorrogação do lockdown

Anúncios

Nesta quarta-feira (13), em entrevista ao titular do Blog, no programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM, o juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, explicou a sua decisão de prorrogar, nesse primeiro momento, o lockdown em três dias, indo até o próximo domingo (17).

O magistrado deixou bem claro que partiu exclusivamente dele a decisão de prorrogar o lockdown, já que nenhuma das partes que estiveram participando da reunião demonstrou tal interesse.

“Eu fiz uma audiência ontem, de conciliação. Nessa audiência, o representante do estado, os representantes dos municípios fizeram uma análise positiva do lockdown, mas nenhuma das partes envolvidas manifestou interesse em que o lockdown fosse prorrogado. Eu propus diante das informações que chegaram, e de certa forma até insistir, que tivéssemos mais três dias de lockdown. Insisti com as partes e no final conseguimos chegar a bom termo para essa prorrogação por mais três dias de lockdown na ilha de São Luís”, afirmou.

No entanto, o magistrado também deixou claro que dificilmente teremos uma prorrogação da prorrogação, já que as partes não demonstraram interesse nem no prolongamento inicial. A afirmação foi feita pelo fato do juiz Douglas Martins ter deixado claro que uma nova prorrogação teria que partir de um pedido do Ministério Público e/ou Executivo, municipais e/ou estadual.



“Do que nós vimos na audiência, já poderíamos dizer que provavelmente não teremos nenhum tipo de proposta de prorrogação além da segunda-feira, porque ninguém propôs a prorrogação na audiência, partiu de uma iniciativa minha. O que parece, do que vimos na audiência é que todas as partes estão se encaminhando no sentido de daqui por diante, essas decisões de mais restrições ou menos restrições, a partir de segunda-feira fique ao encargo exclusivo dos órgãos do executivo estadual e municipais. Cada um decidindo de acordo com a sua realidade e de acordo com a situação concreta de seu. município”, destacou.

O magistrado afirmou que tem consciência que sua decisão ajudou a salvar vidas de muitos maranhenses e está com a cabeça tranquila por ter determinado a decretação do lockdown. Clique aqui para ouvir a entrevista na íntegra.

Todo Estado – Nesta quarta-feira (13), o PSTU confirmou que ajuizou uma ação na Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, querendo a ampliação do lockdown para todo o Maranhão e pedindo a estatização de todos os leitos privados para serem controlados pelo SUS para atendimento aos portadores de COVID-19.

*Fonte:BlogdoJorgeAragão

Categorias:Cidades, slider

Deixe uma resposta