Saúde

César Pires cobra explicações do governo sobre compras de respiradores

Anúncios

O deputado César Pires afirmou nesta terça-feira (23), na tribuna da Assembleia Legislativa, que o governo Flávio Dino cometeu fraude e desvio de conduta na compra de respiradores para pacientes vítimas do coronavírus no estado. Com dados organizados e sistematizados, ele defendeu que o caso seja apurado pela Polícia Federal e pelos órgãos de fiscalização estaduais para que os prejuízos para o povo do Maranhão sejam reparados.
“No dia 6 de abril, foram pagos 4,9 milhões de reais à HempCare Pharma, para compra de 30 respiradores na China, que nunca chegaram. Essa organização inidônea recebeu o dinheiro, não entregou os equipamentos e o Governo do Estado não deu uma resposta ao povo do Maranhão. Pagou, não recebeu e ainda oculta as informações. Se fosse em outro estado, o governador e o secretário de Saúde já tinham sido presos”, declarou César Pires.
O deputado acrescentou que dia 4 de maio mais 4.3 milhões de reais foram gastos na compra de respiradores na Alemanha, que também nunca chegaram. Nesse caso, o Governo do Estado alega que parte dos recursos foram devolvidos, mas sem dizer que o valor foi pago em dólar, à época cotado em R$ 5,80, e a devolução teria ocorrido com valor abaixo, gerando prejuízo aos cofres estaduais. “De um recebeu calote, e no outro recuperou valor bem abaixo do que foi pago”, enfatizou.
César Pires também cobrou transparência do governo Flávio Dino sobre as doações feitas ao Estado pela iniciativa privada, para o enfrentamento da pandemia no Maranhão. “Em nível nacional, os grandes veículos de imprensa mostram onde estão sendo aplicados os recursos das empresas. Aqui não sabemos quanto o poder público recebeu de doações para a compra de respiradores, quais foram as instituições doadoras e nem onde esses equipamentos foram instalados. Essa falta de transparência esconde outros desvios? Tudo isso precisa ser investigado”, afirmou.
Por fim, César Pires declarou que a pandemia não autorizou os gestores públicos a cometerem crimes de responsabilidade, a jogar dinheiro fora em organizações empresariais inidôneas. “Essa gestão incompetente, em vez de salvar vidas, prejudicou muitas vítimas da Covid-19 que precisarem de respiradores e não encontraram. O Governo do Maranhão deve essas explicações, aos órgãos de controle e aos maranhenses”, finalizou.

Categorias:Saúde

Deixe uma resposta