Saúde

Anvisa emite nova nota sobre uso de ivermectina contra COVID-19

Anúncios

Após publicar nota na semana passada com ressalvas sobre o uso da ivermectina no combate à COVID-19, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retomaou a questão sobre o uso do vermífugo para o tratamento de pacientes diagnosticados com a doença neste sábado (11). Mesmo que o órgão continue a afirmar que o medicamento não tem eficácia comprovada contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2), a nota foi encurtada e dela foi retirada uma série de pontos.

Entre os pontos removidos da primeira nota, estão os possíveis efeitos colaterais da ivermectina, quando usada sem prescrição médica, através da automedicação. Quando comparado, o texto mais recente da Anvisa ainda acrescenta que “não existem estudos que refutem esse uso”, referindo-se à ministração do vermífugo no tratamento de pacientes com a COVID-19.

Independente disso, a segunda nota aponta que “as indicações aprovadas para a ivermectina são aquelas constantes da bula do medicamento” e que o uso fora do previsto na bula “é de escolha e responsabilidade do médico”. Ou seja, a decisão de tomar o remédio deverá ser tomada entre médico e paciente.

A nova orientação é bem menos direta do que a da primeira, cuja nota oficial já foi retirada do ar, a qual afirmava: “não há recomendação da Anvisa, no momento, para a sua utilização em pacientes infectados ou mesmo como forma de prevenção à contaminação pelo novo coronavírus”.

Conforme publicou o jornal O Globo, as alterações ocorreram para “não gerar conclusões equivocadas”, já que ainda não existem estudos finalizados para a nova infecção respiratória. O órgão também informou que inciará discussões para incluir ou não a indicação da Ivermectina para o tratamento do novo coronavírus, assim que houver estudos científicos conclusivos.

A seguir, veja a última nota completa da Anvisa sobre o uso da ivermectina:

Diante das notícias veiculadas sobre medicamentos que contêm ivermectina para o tratamento da Covid-19, a Anvisa esclarece:

Inicialmente, é preciso deixar claro que não existem estudos conclusivos que comprovem o uso desse medicamento para o tratamento da Covid-19, bem como não existem estudos que refutem esse uso.

Até o momento, não existem medicamentos aprovados para prevenção ou tratamento da Covid-19 no Brasil.

Nesse sentido, as indicações aprovadas para a ivermectina são aquelas constantes da bula do medicamento.

Cabe ressaltar que o uso do medicamento para indicações não previstas na bula é de escolha e responsabilidade do médico prescritor.

Confira o texto original com a notícia publicada no Canaltech, na íntegra, na última sexta-feira (10):


Nesta semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertou sobre os riscos de tratamentos para o novo coronavírus (SARS-CoV-2) que utilizam Ivermectina — remédio normalmente indicado para o combate de vermes e parasitas. De acordo com o órgão, não há comprovação científica de que a ivermectina seja efetiva no tratamento da COVID-19.

Continue Lendo/Fonte:CanalTech

Categorias:Saúde

Deixe uma resposta