Últimas Notícias

Alunos da rede estadual afetados pela pandemia começam a receber chips com internet

Anúncios

O Governo do Maranhão começou nesta quinta-feira (6), a distribuição de chips de internet para alunos do 3º ano do ensino médio da rede pública estadual que estão se preparando para realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ao todo, 90 mil chips serão entregues no estado.

Os chips possuem pacote de dados com internet de 20 GB e os alunos terão acesso até janeiro de 2021, mês no qual será realizado as provas impressas e digitais do Enem. Inicialmente, a distribuição deve a realizada em São Luís, mas a previsão é que até o fim do mês de agosto, estudantes do 3º ano de todas as cidades maranhenses tenham recebido os chips.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) afirma que a medida deve promover amplo acesso aos conteúdos digitais que estão sendo disponibilizados por meio das aulas remotas aos alunos afetados pela pandemia. O retorno das aulas presenciais na rede pública do estado segue sem ter data definida, após ter sido adiado pela 5ª vez.

Retomada das aulas presenciais na rede estadual são canceladas pela 5ª vez no Maranhão — Foto: Divulgação/Seduc.

De acordo com Danilo Moreira, subsecretário de Educação, a entrega será feita pelos gestores escolares que vão receber a quantidade equivalente ao número de matriculados. Ele afirma que a secretaria não vai realizar o controle do que será acessado com a internet pelos estudantes, mas conta com a responsabilidade e consciência dos alunos.

“A gente está trabalhando com os estudantes até uma questão de consciência e responsabilidade, a gente não vai direcionar onde é que ele vai utilizar, mas a gente acha que ele vai se dedicar a assistir as nossas aulas. Acreditamos que ele vai assistir conteúdo depositado no canal da Seduc e ele de fato ele será co-responsável. Se ele usar para se preparar melhor para o Enem, ele terá como acessar a universidade. Assim como na aula presencial, se ele não dedicar, ele não vai ter um aprendizado satisfatório”, disse o secretário.

Deixe uma resposta