slider

O programa apresentado pelo Dr. Yglésio poderá ajudar mães-solo e crianças de 0 a 6 anos

Anúncios

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de São Luís, o Dr. Yglésio (PROS), divulgou oficialmente, na noite desta quarta-feira (19), o Programa de Apoio à Primeira Infância, o PAPI. É um programa que vai destinar apoio à primeira infância por meio da transferência de um auxílio financeiro individual destinado às crianças de 0 a 6 anos, no valor de até R$ 200 por família.



A princípio, o Yglésio lançou um vídeo, de pouco mais de um minuto, com a ideia central do PAPI em suas redes sociais. O objetivo disso foi de convidar as pessoas para debater sobre o programa e os impactos positivos que ele terá hoje e amanhã na vida das pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade socioeconômica na periferia da capital.



“Um projeto de minha autoria, voltado para cuidar da primeira infância, que compreende as crianças de 0 a 6 anos. Levaremos este projeto a diversas comunidades de São Luís nas próximas semanas para seguir ouvindo e aprimorando o projeto com moradores de todas as regiões da cidade! Te convido a conhecer e participar com a gente!”, disse o Dr. Yglésio.



O lançamento do PAPI, de fato, ocorreu no último sábado, dia 15, por meio de um evento que reuniu especialistas, lideranças de grupos sociais e, principalmente mães representando todas as regiões da capital maranhense. O evento, assegurou o Dr. Yglésio, seguiu todos os protocolos sanitários determinados pelas autoridades de saúde e, ao decorrer dele, o pré-candidato a prefeito explicou os requisitos a serem seguidos para as pessoas terem acesso ao programa.



REQUISITOS DO PAPI



Na apresentação, o Dr. Yglésio esclareceu como funcionará o acesso ao programa. “Serão contempladas até duas crianças por família, de 0 a 6 anos, que estejam com frequência regular de, no mínimo, 85%, no caso das crianças de 4 a 6 anos, e que tenham acompanhamento nutricional. Além disso, só poderão receber o auxílio financeiro individual, de até R$ 200,00, os beneficiários do Bolsa Família e do Auxílio Emergencial”, explicou.



Além do exposto acima, o pré-candidato também esclareceu que os beneficiários de programas diferentes dos citados não terão direito ao apoio oferecido pelo PAPI.



As famílias com renda de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou com renda familiar total de até dois salários mínimos (R$ 2.090,00), também estarão aptas a participar do Programa de Apoio à Primeira Infância e receber o apoio financeiro.



O benefício será creditado em um cartão semelhante ao que é praticado com o Bolsa Família, sendo o porte do documento destinado à mãe das crianças, preferencialmente. Até hoje, o Bolsa Família foi o responsável por diminuir em 10% a taxa de pobreza e 25% na taxa de extrema pobreza na região nordeste, onde se encontra a cidade de São Luís.



O PAPI, focando na camada mais carente da população ludovicense, também será capaz de potencializar, além do acesso à saúde e à educação por parte das crianças e das mães, a luta contra a fome e a pobreza que, infelizmente, são duas realidades presentes na cidade mais desenvolvida do Maranhão.



É importante destacar que a lista de todos os beneficiários estará disponível na internet, reforçando a necessidade da transparência no uso do dinheiro público para que, assim, além do próprio poder público, a sociedade possa ajudar a fiscalizar se, de fato, o benefício está indo para as famílias que mais precisam dele.



Financiamento do PAPI



De acordo com o projeto, o município fará um investimento mensal de cerca de R$ 2,6 mi, totalizando R$ 31,2 milhões por ano, o que representa menos de 1% do orçamento total de R$ 3,4 bi da capital para 2020, aprovado em 2019, e contemplará cerca de 13.000 famílias com mães chefes de família.



O PAPI foi desenvolvido em cima de um problema histórico na cidade de São Luís, um ciclo vicioso em que as crianças não têm a assistência adequada nos primeiros anos de vida e acabam sendo prejudicados na fase adulta com a falta de emprego, renda, saúde e outros. Uma realidade que se repete e se perpetua a cada geração.



Com citamos anteriormente, agora, o Dr. Yglésio dará início ao “PAPI Comunidades”, que é uma série de vistas às comunidades cuja população seja potencial beneficiária do programa, com o objetivo de conhecer ainda mais as necessidades das pessoas em assistência à primeira infância, ajudando a fortalecer ainda mais o Programa de Apoio à Primeira Infância. Um anteprojeto de lei já foi protocolado na Assembleia Legislativa do Maranhão para ser enviado à Prefeitura de São Luís.

Categorias:slider

Deixe uma resposta