Economia e Negócios

Sinproesemma reúne com superintendência do Banco do Brasil para tratar sobre empréstimo consignado

Anúncios

O presidente do Sinproesemma, Raimundo Oliveira, acompanhado do secretário de assuntos jurídicos da entidade sindical, Henrique Gomes estiveram reunidos na tarde desta terça-feira, 01, com o superintendente de varejo do Banco do Brasil, Evandro Souza Mendes e o Gerente de Negócios do BB, Almir Mello para tratar sobre empréstimo consignado.

O professor Oliveira elencou as principais dúvidas dos trabalhadores em educação e indagou sobre o posicionamento do Banco do Brasil em relação às parcelas suspensas do empréstimo consignado.

Em contrapartida, Evandro Mendes explicou que o Banco do Brasil buscou solucionar o problema da forma menos onerosa para os clientes, por entender que a suspensão das parcelas do consignado não foi causado pelos servidores.

Segundo Evandro, o Banco do Brasil propõe reparcelar o valor das três parcelas referentes aos meses de julho, agosto e setembro que foram suspensas através de um contrato à parte, diluindo no restante da quantidade de parcelas do contrato original, sem cobrança de multas e juros de mora, somente os juros de normalidade, ou seja, os juros originais do contrato, sendo o parcelamento de no mínimo 12 vezes. Os servidores terão até o dia 13 de dezembro para aderir ao plano.

“A nossa proposta é manter o pagamento das parcelas dos contratos originais e regularizar o saldo em aberto por meio de uma nova parcela menor, de forma que ficará mantida as parcelas remanescentes em seu curso normal e paralela a essas, parcelas menores referentes ao valor suspenso no período de vigência da Lei, diluídos no mínimo em 12 vezes, sem adição de multas e juros de mora”, disse Evandro.

Para o assessor jurídico Henrique Gomes, o Sinproesemma está buscando solucionar todas as questões em relação aos empréstimos consignados.

“Já conversamos com a superintendência da Caixa Econômica Federal, hoje estamos no Banco do Brasil buscando os caminhos para a resolução das pendências dos empréstimos consignados advindos da Lei 11.274/2020. Vamos continuar fomentando a comunicação com os outros bancos para dirimir todas as dúvidas”, ponderou Henrique.

Para o presidente do Sinproesemma, o Banco do Brasil propõe uma forma razoável de resolver as pendências das parcelas suspensas dos consignados, de forma a não penalizar os servidores.

“Hoje viemos buscar as respostas aos questionamentos dos servidores públicos, em especial os da educação que tem consignados junto ao Banco do Brasil. Desse encontro muito proveitoso, ficou claro o posicionamento do banco em regularizar as parcelas em aberto do crédito consignado dos servidores, de forma a minimizar os transtornos causado por essa Lei que foi julgada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal. O Sinproesemma está imbuído na resolução desse imbróglio de forma que os servidores não sejam prejudicados.”, enfatizou Oliveira.

Os servidores que pretendem aderir ao plano podem realizar a operação através do celular pelo aplicativo do Banco do Brasil (após login, acessar perfil e clicar em confirmações pendentes), no site do BB (após login, acessar o ícone do sininho), nos terminais de autoatendimento através da guia pendências, pelos telefones 4004-0001 ou 0800 729 0001, digitando a tecla 2 ou na agência do Banco do Brasil consultando um funcionário.

Caso os servidores sejam contra a adesão ao plano, as três parcelas serão debitadas de uma única vez para a quitação do saldo em aberto.

*Fonte:Sinproesemma

%%footer%%

Deixe uma resposta