Anúncios

O artesão ceramista Raimundo Diniz viu suas vendas caírem abruptamente com o declínio da atividade turística durante a pandemia da Covid-19. “As vendas caíram. Se não tem turista, nós não temos como vender nossas peças”, lamenta. Apesar do cenário ainda adverso, o artesão maranhense comemorou, nesta quarta-feira (09), um novo momento. Ele foi um dos artistas selecionados no edital de Artesanato da Lei Aldir Blanc (Lei Federal n° 14.017/2020) no Maranhão, que começaram a entregar suas produções ao Governo do Estado.

“A gente como artesão fica satisfeito com isso. É uma contribuição que a gente está tendo do governo para mostrar o nosso trabalho. Financeiramente, também é uma ajuda importante para a gente poder se manter nesse período de pandemia”, avalia.

Raimundo Diniz é um dos 130 artesãos que foram contemplados no edital de abertura, com cachês no valor unitário de R$ 5.000,00, o que representa um investimento total de R$ 700 mil no segmento, só nesta primeira etapa.

Com a prorrogação do prazo de entrega dos produtos, a estimativa da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), parceira da Secretaria de Cultura (Secma) na execução do edital de artesanato, é que o valor de repasse aos artesãos passe de R$ 1 milhão.

Literatura

Esta semana também marcou o início das entregas das obras escritas pelos autores maranhenses selecionados na primeira chamada pública do edital Fomento à Literatura da Aldir Blanc. A diretora da Biblioteca Pública Benedito Leite (BPBL), Aline Nascimento, começou a receber os exemplares dos primeiros contemplados.

“Vamos receber até a sexta-feira (11), dos autores que foram contemplados na primeira seleção. Os que foram selecionados pós- recursos a gente vai começar a receber semana que vem”, explica a diretora da BPBL.

Segundo o edital, serão adquiridos 100 exemplares por autor, de valor até R$ 100,00. Ou seja, o valor destinado ao pagamento de cada credenciado selecionado será de até R$ 10.000,00.

Como previa o edital, as obras adquiridas via Lei Aldir Blanc serão utilizadas em feiras, eventos, oficinas e na renovação dos acervos das bibliotecas públicas e outros espaços de leitura.

A diretora Aline Nascimento explicou como está funcionando o processo de entrega a acondicionamento das obras adquiridas.

“Nós fazemos uma conferência dos livros, atestamos o recebimento e a partir daí, esses livros serão distribuídos. Parte vai ficar no acervo da Biblioteca Pública Benedito Leite, outra parte vai ser encaminhada para as bibliotecas comunitárias, cadastradas no Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, e para as bibliotecas públicas municipais ou para os Faróis do Saber que estão sendo revitalizados. Outra parte vai fazer parte de uma reserva técnica para que ele seja utilizado em exposições, em feiras e outras programações da Secma e da Biblioteca Pública Benedito Leite”, detalhou Aline Nascimento.

O maranhense Wilson Marques, autor de livros infantis, como “Quem tem medo de Ana Jansen?”, e Victor Azulay, escritor que usou a literatura para contar como superou por duas vezes o Acidente Vascular Cerebral (AVC), estão entre os primeiros autores a depositarem obras premiadas.

Entregas

Para evitar aglomerações, equipes da Secma e da Setur estão entrando em contato com os artistas selecionados para agendar a data e o horário das entregas.

Sobre a Lei Aldir Blanc

Legislação aprovada em caráter emergencial no Congresso Nacional, a Lei Aldir Blanc disponibilizou R$ 3 bilhões para aplicação nos Estados, Distrito Federal e municípios.

O Governo do Maranhão recebeu R$ 61,3 milhões e vem repassando aos profissionais da cultura por meio de seis editais de fomento cultural (Conexão Cultural 3, Oficinas Artísticas, Fomento a Projetos Culturais, Fomento à Literatura, Aquisição de Ativos do Artesanato e Fomento a Projetos Audiovisuais), além da Renda Básica Emergencial da Cultura.

%%footer%%