Prêmios

Homenagens, premiações e inovações tecnológicas marcaram a edição de 2020 da Semana Maranhense de Dança

Anúncios

A celebração da XIV Semana Maranhense de Dança ocorreu de forma online e público pôde interagir de onde quisesse. Com atrações de danças para todos os apreciadores da arte maranhense e brasileira, a recheada agenda aconteceu com a realização de mostras, vivências, espetáculos, café cultural mostras coreográficas, workshop, videodança, homenagens e a tradicional Batalha de Danças Urbanas Negro Cosme, título conquistado por Skylo Maragong.

Entre as homenagens realizadas, a edição consagrou o nome da bailarina clássica, Débora Buhatem, de 37 anos. A homenagem se iniciou em 2019 com a indicação da profissional e se concretizou neste ano, na 14ª edição do evento. “Fico muito feliz em ser homenageada em um evento deste porte; é um grande reconhecimento pela minha trajetória de vida dedicada à dança, tanto enquanto bailarina fora do país, como agora, que estou na minha terra natal trabalhando com a dança como professora, uma grande realização, pois me sinto honrada em compartilhar conhecimentos; contribuir com os meus alunos”, comentou.

Débora disse que foi uma sacada sensacional realizar o evento no formato on-line devido à pandemia. “Foi uma medida necessária. O público teve a oportunidade de assistir com segurança, o que é primordial neste momento. Podemos constatar que a arte nesse período de isolamento foi grande companheira de todos, vimos grande apresentações pelo mundo que nos encantaram e só corroborou a força e a importância da arte”, ressaltou Buhatem.

A homenagem prestada à Débora não foi por acaso, pois ela iniciou seus estudos de Dança no Ballet Olinda Saul aos 9 anos, se graduou pela ENA – Escola Nacional de Arte (Havana-Cuba) e assim ganhou o mundo com a dança. Obteve o Diplôme d’Etat (Formação de Maître de Ballet Clássico pela Metodologia da Escola Francesa), dançou em Companhias da Europa como: Jeune Ballet de France (França), Ballet de L’Opéra de Bordeaux (França), no Ballet de L’Opéra National Du Rhin (França) e Theater Hagen (Alemanha).

A dançarina foi premiada em diversos concursos internacionais com prêmios importantes, como o de bailarina revelação. Em 1993- Festival Internacional Bento em Dança – Rio Grande do Sul: medalha de bronze (clássico de repertório) e Medalha de ouro (estilo livre), em 1994- 2° Festival Internacional Bento em Dança – Rio Grande do Sul: medalha de prata (clássico de repertório) e medalha de ouro (Estilo livre), em 1995- Festival Internacional de Dança de Joinville – SC: medalha de prata (Clássico de Repertório), em 1996- Concurso Internacional Alicia Alonso-Havana/Cuba medalha de prata (Clássico de Repertório), Medalha de ouro (Estilo livre); melhor Bailarina do Concurso pela União Nacional de Escritores e Artistas de Cuba, pela ópera de Pekin, pela Imprensa Cubana e pelo Júri do concurso. E em 1998- Concurso Internacional de Escolas – Havana/Cuba: Medalha de prata (Clássico de Repertório).

Na abertura do evento de 2020 participaram com suas apresentações o grupo Pas de deux com ‘O Pássaro Azul’, do Núcleo de Arte de Educação (NAE) – Seduc/Secma-TAA, ‘Zahra’- Solange Costa, ‘Telas’- Francis Freitas, ‘Um outro Ponto de Vista’- Studio Upside Ple Sport, ‘Dame Mais’- Davi Robolativo, ‘Chicago’- Lilac Studio de Dança. ‘Ponto de Reflexão’- Caio Silva, ‘Untold’- Joilson Ferraz e Fernando Saraiva, ‘Variação Feminina do Cisne Negro’- Alícia Saul, ‘Feltros Escuro’- Luis Silva e Mateus Mateyc e ‘Madei In MA’- Cia Street Masters.

O evento seguiu com uma mostra de arte educação com a ‘Ariranha’, do Núcleo de Arte de Educação, em sequência a apresentação de ‘Variação Feminina O Corsário’, de Fernanda Torres, as ‘Amigas de Kitri’ do Núcleo de Arte de Educação do Teatro Arthur Azevedo, ‘Talismã Variação Feminina’, do Prodanz, ‘ Variação Feminina O Corsário’, de Agatha Câmara, ‘1,2 Step’, do Prodanz e grupo Pas de deux com ‘O Pássaro Azul’.

Durante a edição de 2020 ocorreram mostras criativas de competição sênior com André Bandeira com ‘Manhã de Flor de Sal’, com Branco Aquino ‘Vinte e Vinte’, Francis Freitas com ‘Telas’, Cláudio Marconcine com ‘Nós, Eles e Eu’, Meninas Show com ‘As garotas do Tempo’, Trois Dance com ‘Sentimento’, Rebeca Carneiro e Davi Rebolativo ‘ Apesar de Querer’, Gabriel Martins ‘ Caos da Quarentena’, Caio Silva com ‘ The Day To Day Quarintine’ e Calina com ‘ Ninth Gate’.



Workshop

Levando muita dança de salão para o público, o professor Marcelo Granjeiro realizou um workshop da especialidade pelo instagram da Semana Maranhense de Dança. Ele mostrou ao público os diversos tipos de danças em casal, que são executadas em salões com práticas técnicas e artísticas.

O profissional mostrou um pouco do deslocamento de passos com a música ‘Filho do Mato’ , da banda Saia Rodada. Na apresentação ele animou o público e mostrando um pouco do estilo musical do forró, circulando o salão no sentido horário e anti-horário.

O evento contou ainda com um workshop de danças urbanas com o professor de dança e hip hop, além de coreógrafo, Caio Silva. O especialista se apresentou de forma online no instagram da Semana Maranhense de Dança. Ele que já tem uma ampla experiência e desenvoltura em sua rede social @coe_caio levou um pouco de conhecimento, cultura e arte, por meio da dança.

%%footer%%

Categorias:Prêmios, Tecnologia

Deixe uma resposta