Cultura e Entretenimento

Mural da Memória começa a ser construído no bairro da Liberdade, em São Luís

Anúncios

O projeto “Amo, Poeta e Cantador: Murais da Memória pelo Maranhão” inicia uma nova fase neste ano de 2021. Vai construir 10 grandes murais da memória, utilizando a arte do graffiti, em seis cidades maranhenses, para homenagear personalidades que fazem do Bumba meu Boi uma das maiores expressões culturais do Estado. As obras são assinadas pelo artista Gil Leros.

O primeiro grande mural será construído no bairro da Liberdade, em São Luís, a partir da próxima segunda-feira, dia 19 de abril. O homenageado é o mestre Leonardo, um dos fundadores do Boi da Liberdade, de sotaque zabumba, e também do tradicional Tambor de Crioula do bairro. Pelo seu grande prestígio, a brincadeira é conhecida hoje como Boi de Leonardo.



A confecção dos murais, com a produção também de um documentário sobre o projeto, está prevista para acontecer entre os meses de abril a agosto de 2021. Dos 10 murais, quatro serão na capital maranhense, e os demais em Axixá, Cururupu, Barreirinhas, Guimarães, Viana e São José de Ribamar. A imagem do primeiro mural, de mestre Leonardo, será ‘graffitada’ no Centro de Saúde da Liberdade.

Essa nova etapa do projeto “Amo, Poeta e Cantador” é uma realização do Bumba meu Boi da Floresta, com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Benfeitoria, e do SITAWI.



SERVIÇO

Mural da Memória começa a ser construído no bairro da Liberdade, em São Luís

QUANDO: 19 a 22 abril de 2021.

ONDE: Centro de Saúde da Liberdade – Rua Machado de Assis, S/N°, Liberdade.



__________________________________

O BUMBA MEU BOI DE LEONARDO



Leonardo Martins dos Santos, mestre Leonardo, comandou o Boi e o Tambor da Liberdade por mais de 40 anos. Nasceu em Guimarães, em 06 de novembro de 1921, e morreu em São Luís, no dia 24 de julho de 2004, aos 82 anos. Começou a dançar Boi e Tambor aos 08 anos de idade, mudando-se para o bairro da Liberdade, em São Luís, aos 19 anos. Nessa época, a Liberdade era conhecida como ‘Campina do Matadouro’.

Antes de fundar seu próprio grupo, brincou no Boi de Mizico (Hemetério Raimundo Cardoso), na Vila Passos, do sotaque de zabumba. Então, em 1956, Leonardo, ao lado de João Abreu, Popó, Romário, Virício e Sebastião Barbeiro, funda o Boi da Liberdade.

Ele era um brincante completo: fazia os próprios instrumentos, indumentárias, compunha e cantava. Um verdadeiro mestre, cujo nome virou símbolo de tradição e deu grande prestígio ao sotaque de zabumba; de tal forma que as brincadeiras da Liberdade passaram a ser conhecidas como Boi e Tambor de Crioula de Leonardo.


Após a morte de mestre Leonardo, sua filha mais nova (de um total de cinco), Claudia Regina Avelar Santos, de 55 anos, passa a administra o Bumba meu Boi da Liberdade. Pós-graduada em Saúde Pública, com ênfase em Saúde da Família, Regina Avelar também é gestora administrativa do Centro de Saúde da Liberdade desde 2017.

%%footer%%

Deixe uma resposta