Saúde

Mais de 2,5 milhões de teleconsultas foram realizadas na pandemia, aponta pesquisa

Anúncios

Desde quando as consultas médicas a distância foram autorizadas pelo Ministério da Saúde, por causa da pandemia de Covid-19, muitas pessoas passaram a optar pela teleconsulta, seja pelo medo de contaminação do vírus ou pela praticidade que o serviço oferece.


Para se ter ideia, de abril de 2020 a março de 2021 mais de 2,5 milhões de teleconsultas foram realizadas no país, segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge). Ao todo, 90% dos pacientes conseguiram resolver os problemas de saúde dentro de casa, evitando uma possível contaminação pelo coronavírus.


Na avaliação do diretor corporativo de Telemedicina do Sistema Hapvida, José Luciano Monteiro Cunha, a telemedicina permite que os pacientes recebam orientação e monitoramento de casa, deixando as clínicas e os hospitais livres para quem realmente precisa de um cuidado presencial, especialmente em um cenário de pandemia. “Por meio do uso de tecnologias digitais altamente eficazes, a telemedicina permite ao médico, através de algumas técnicas específicas de exame, avaliar o paciente e tomar condutas, seja na prescrição de medicamentos ou na solicitação de exames complementares”, explica.


Um exemplo de sucesso que proporciona mais comodidade e segurança aos pacientes, é o portal de teleconsulta do Hapvida. Por meio da plataforma, é possível realizar consultas imediatas para síndromes gripais e Covid-19, além de consultas eletivas, que são com hora marcada, com diversas especialidades. “Nossos médicos estão totalmente treinados para esse tipo de atendimento. Desde o início da pandemia, o Hapvida já superou a marca de mais de 800 mil teleconsultas realizadas em todo o Brasil”, afirma.


Telemedicina no combate a Covid-19


Mais que uma praticidade para o paciente, o atendimento a distância evita que os pacientes precisem sair do isolamento para procurar os serviços de saúde. Dessa forma, as pessoas se preservam das chances de contaminação seja no transporte público, na rua ou mesmos nos próprios locais de atendimento. Além disso, pacientes infectados ou com suspeita de covid-19 podem permanecer em quarentena e diminuir a circulação do vírus.


Ainda segundo José Luciano é indispensável que a população tenha consciência do papel fundamental da telemedicina. “Neste cenário de pandemia, usem cada vez mais a telemedicina como sua forma principal de apoio à saúde. Evite se expor ou expor outras pessoas a ir ao hospital, sem que de fato seja necessário. Vamos vencer essa pandemia com a ajuda da tecnologia e também dos profissionais que estão por trás dela”, aconselha.


Para conhecer mais sobre a plataforma do Hapvida, basta acessar o endereço
https://www.hapvida.com.br/teleconsulta. Além de ter acesso à receita, atestado, prescrição de exames, é possível avaliar a consulta, no fim do atendimento. Nas consultas eletivas o pacientes contam com diversas especialidades: Clínico Geral, Pediatria, Infectologia, Hematologia, Psiquiatria, Neurologia,
Endocrinologia e Gastroenterologia.

%%footer%%

Categorias:Saúde

Deixe uma resposta