Anúncios

Em entrevista concedida na manhã desta segunda-feira, 25, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, disse que será oficializada uma proposta de auxílio emergencial para o setor de transporte, visando impedir o aumento na tarifa de ônibus.

A proposta consiste em um cartão cidadão que vai garantir passagem gratuita para pessoas que perderam o emprego durante a pandemia da Covid-19, além de contribuir para o sistema de transporte público, com injeção de recursos.

“A pandemia mexeu com todos e é por isso que no início do ano nós criamos o auxílio emergencial para o setor cultural. É essa solução que nós propomos neste momento. O primeiro caminho apontado para o término da greve foi o aumento do preço das passagens de ônibus, e eu já me manifestei sobre esse assunto e não acho correto, neste momento em que as pessoas estão tentando retomar a economia, almejando buscar os empregos que foram perdidos durante a pandemia, ter que arcar agora com esse aumento. Quero aqui reafirmar que nós não teremos aumento nas passagens de ônibus”, disse o prefeito.

Ainda segundo Eduardo Braide, o auxílio vai substituir o reajuste da tarifa de ônibus em São Luís e, com o recurso, será possível retornar com as atividades na capital.

Dificuldades na resolução

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) reafirmou a intenção de buscar uma solução negociada e pacífica que leve ao fim da greve de trabalhadores rodoviários, em nota divulgada nesse domingo (24).

Para Eduardo Braide, não existe dificuldade. A diferença é de onde vai sair os recursos: do bolso da população ou do programa da prefeitura.

Reajustes de preço é contratual

De acordo com Braide, o aumento de tarifa é contratual, pois existe a possibilidade de um reajuste anual. No entanto, é necessário que haja medidas para que a população não seja prejudicada.

“Em vez de colocar esse preço, nesse momento tão difícil de pandemia, na conta da população, nós vamos chamar a responsabilidade do Município para que a gente possa encontrar a solução para esse impasse em relação aos rodoviários e os empresários sem prejudicar a população. Não tem dificuldade. A diferença é de onde vão sair os recursos, se é do bolso da população, ou se é da Prefeitura de São Luís por meio de um programa social que vai atender as pessoas. Então, o recurso é o mesmo. O mesmo recurso que sair do aumento de tarifa, é o que vai sair do auxílio emergencial da prefeitura”, finalizou.

Informações: G1 Maranhão

%%footer%%