Anúncios

O cantor é uma das atrações do sarau RicoChoro ComVida, que acontece neste sábado (6), no Museu Histórico e Artístico do Maranhão. As outras atrações são a cantora Lena Garcia, o Regional Caçoeira e o dj Victor Hugo

“Estou muito feliz pelo convite. O RicoChoro ComVida, além de ter se tornado um evento necessário para o calendário de São Luís, é um importante marco como difusor de cultura e artistas maranhenses. O projeto está me permitindo cantar um repertório que gosto muito e quase não tenho oportunidade de apresentar, por conta das proposições dos locais e eventos que me disponho a cantar pra ganhar a vida”.



O depoimento é do cantor Jhoie Araújo, um dos convidados do sarau RicoChoro ComVida que acontece neste sábado (6), às 17h30, no jardim do Museu Histórico e Artístico do Maranhão (MHAM, Rua do Sol, 302, Centro). Ele divide o palco com a cantora e compositora Lena Garcia e os dois terão como anfitrião o Regional Caçoeira, formado por Wendell Cosme (cavaquinho e bandolim), Tiago Fernandes (violão sete cordas), Wanderson Silva (percussão) e Vitor Monteiro (flauta). O dj da noite é Victor Hugo. O evento tem entrada franca, devendo ser observadas as normas de segurança sanitária vigentes. O uso de máscara é obrigatório.



“O projeto está me possibilitando dividir o palco com a Lena, que além de ser minha amiga, me embalou quase toda manhã no programa Santo de Casa. Quando a conheci, por volta de 2015, fiquei emocionado em saber de quem era a voz por trás da música “Nenhuma estrela”, fora a memória afetiva de vê-la interpretando a canção que ficou em primeiro lugar no festival João do Vale. Estou falando tudo isso pra provar o quanto são incríveis os encontros que RicoChoro ComVida proporciona”, continua Jhoie Araújo.



Ele adianta, mas sem entregar, o que está preparando em termos de repertório, para a apresentação: “reuni cações que gosto de cantar e me levam pra lugares e cenas diversas, um panorama que vai de Cesar Teixeira, passa por Cartola e desemboca em “Kumbaya”, que é uma música do meu amigo Sfanio que tive uma grande felicidade em gravar com a minha banda Baré de Casco”.



O cantor, que como todos os trabalhadores e trabalhadoras da cadeia produtiva da cultura, teve que paralisar as atividades em razão do isolamento social imposto pela pandemia de covid-19, comenta a atual realidade brasileira, a importância da arte para atravessar a crise sanitária, e o retorno aos palcos, no projeto RicoChoro ComVida: “acredito que a maior riqueza que a gente pode ter é a arte, não de uma maneira romântica; passamos por uma treva e a possibilidade, mesmo com restrições, de nos apresentarmos, com responsabilidade, é impagável, afinal, fizemos frente a toda essa desgraça que aconteceu; com certeza contribuímos para manter a sanidade mental nesse período e tentamos desde sempre levar alimento a alma”.



As três edições do sarau RicoChoro ComVida em 2021 foram garantidas por meio da emenda parlamentar 39210011 OGU 2021, destinada pelo deputado federal Bira do Pindaré à Prefeitura Municipal de São Luís, através da Secretaria Municipal de Cultura (Secult). O evento tem produção de RicoChoro Produções Culturais, Girassol Produções e Sociedade Artística e Cultural Beto Bittencourt, e conta com tradução simultânea em Libras, a língua brasileira de sinais, banheiros acessíveis e assentos preferenciais próximo ao palco.

%%footer%%