Anúncios

O governador Flávio Dino lança, nesta quinta-feira (4), o Programa de Formação Docente para atender a Diversidade Étnica do Maranhão (Proetnos) voltado para a formação e qualificação de professores de povos e comunidades tradicionais do Maranhão.

O objetivo da medida é que os docentes assumam o processo de escolarização em seus territórios, incluindo curso de licenciatura exclusivo para quilombolas, e para que pessoas com mais de 60 anos tenham acesso ao ensino superior. Ambos os programas se dão através da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

O Proetnos implementará, já em 2022, três Licenciaturas Interculturais Indígenas nos campi da UEMA de Grajaú, Barra do Corda e Santa Inês, e a primeira Licenciatura em Educação Quilombola (LIEQ) no campus São Bento, com 30 vagas voltadas para quilombolas que atestem vínculo de pertença a uma comunidade e que tenham concluído o Ensino Médio.

A criação da LIEQ visa reverter o quadro deficitário de docentes para atuar nas escolas das comunidades quilombolas. De formal geral, essas escolas são assumidas por docentes que possuem apenas o magistério ou o Ensino Médio regular, e, na maioria dos casos, não são quilombolas, o que tem acentuado o racismo estrutural.

Informações: Agência de notícias (Governo do Maranhão)

%%footer%%