Com o período de férias se aproximando – e a pandemia da covid-19 dando sinais de uma queda significativa no número de novos casos da doença – muita gente já está pensando em viajar com a família. Mas, se você tem um animalzinho de estimação, é preciso adotar alguns cuidados antes de começar a fazer as malas. Se eles ficarem sozinhos em casa por muito tempo, poderão desenvolver sintomas emocionais e até correr riscos sérios.

A médica veterinária do PetMania, Karoline Silva, explica que o contato com os tutores é essencial para manter a saúde emocional dos pets. “Se eles ficam sozinhos por longos períodos, podem desenvolver problemas de ansiedade, agressividade e até automutilação”, afirmou.

A veterinária pontuou também os riscos físicos, como engasgos e intoxicação. Como são naturalmente curiosos e gostam de explorar ambientes, os animais podem sofrer acidentes se não tiverem a supervisão dos seus tutores: podem se engasgar com plantas ou pedaços de brinquedos, por exemplo, ou sofrer quedas. “É preciso que alguém esteja por perto para observar situações de perigo e prestar os primeiros socorros se for o caso”, reforçou Karine.

Passeios

A atividade física também é essencial para os animais de estimação, que precisam de uma dose diária de exercícios. Por isso, há quem prefira incluir os pets na programação de férias. É o caso de Markos Martins, que transformou a cadelinha Yorkshire Gatha em companheira de viagens.

“Sempre que é possível, ela viaja comigo. Já fomos juntos para Fortaleza, Rio de Janeiro, Imperatriz. Verifico se o hotel é pet friendly e, se for, levo junto”, contou.

Nos casos em que não é possível, Gatha fica em casa, mas sempre bem acompanhada. Markos explica que conta com a ajuda de um sobrinho, que fica cuidando da cachorrinha para que ela não precise ir para um ambiente novo. “Ela gosta de dormir na cama e no ar condicionado, então, se ela não pode ir comigo, prefiro que ela fique no ambiente dela, em um lugar em que ela já está acostumada e se sente confortável”, disse.

A veterinária do PetMania esclarece que, caso seja preciso levar o animal para algum outro ambiente, é importante verificar com antecedência se o local tem condições adequadas para recebê-lo com tranquilidade e conforto. “É importante saber quem vai tomar conta, se tem outros animais no local e se existe algum risco de fuga, por exemplo. Uma boa solução, nesses casos, é levar o pet com antecedência para uma visita no local, para que ele comece a conhecer o espaço. Assim, a mudança não será uma surpresa total. Se houver outros animais na mesma casa, é importante saber se foram vacinados e vermifugados. Assim, tanto a sua estadia de férias quanto a do seu pet podem ser a melhor possível”, pontuou Karine.

Agora, sim, hora de fazer as malas!