Prestadora de consultas médicas e exames de imagens em Presidente Dutra e São Luís, o iMedical é uma clínica que desenvolve abrangente e diversificada política de responsabilidade social no Estado. Em parceria inédita com o Centro Educacional e Social São José Operário (Cesjo), na Cidade Operária, em São Luís/MA, a empresa vem garantindo mobilidade a pessoas com deficiência ou necessidades especiais.



Por meio do projeto social ‘Oficina de Manutenção de Cadeira de Rodas’, desenvolvido pelo Cesjo, com apoio do iMedical, o Centro oferece serviços gratuitos de manutenção e conserto de cadeiras de rodas. O iMedical garante as novas peças para manutenção das cadeiras. Os prestadores de serviços são voluntários. A gratificação é receber o sorriso e a satisfação dos cadeirantes e ver crescer o número de pessoas beneficiadas.



Segundo o médico radiologista Dr. Rafael Lopes, durante a implantação do iMedical Cidade Operária, a direção da Unidade procurou parceiros locais e logo na vizinhança encontrou o Centro. “O Cesjo tinha esse projeto das cadeiras de rodas, mas estava um pouco parado. O iMedical decidiu apoiar para tentar colocar pra frente e hoje já conseguimos ver bons resultados, o que nos dá muita satisfação”, disse Rafael Lopes.



CIDADE OPERÁRIA



Para o diretor-geral do Cesjo, Roque Kasmierski, “a iniciativa do iMedical em ajudar essa causa nos remete a responsabilidade que esta empresa possui com a garantia dos direitos da pessoa com deficiência, principalmente no direito de ir e vir, pois, a partir do momento que gratuitamente se oferece um serviço para uma comunidade vulnerável e excluída devido as barreiras arquitetônicas e atitudinais, conseguimos avançar na participação da pessoa com deficiência na vida comunitária”, disse Roque Kasmierski.



A macrorregião da Cidade Operária tem a segunda maior concentração de pessoas com deficiências na capital. Segundo o IBGE, o Brasil tem 45,6 milhões de pessoas com deficiência. Dos 190 milhões de brasileiros com pelo menos uma deficiência, seja visual, auditiva, motora ou intelectual, somam 23,9%. A região nordeste registra os maiores níveis para todas as deficiências. Em São Luís, a macrorregião da Cidade Operária é a segunda maior concentração de pessoas com deficiência na capital.