O presidente da República, Jair Bolsonaro, foi intimado pela Polícia Federal a depor no inquérito que investiga o vazamento de documentos sigilosos sobre ataques ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral, em 2018

O vazamento ocorreu em 4 de novembro de 2021 quando o presidente, através das redes sociais, divulgou os documentos da PF.

A investigação sobre o vazamento foi determinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, atendendo a um pedido do TSE.

Moraes também determinou a remoção dos links compartilhados por Bolsonaro, bem como a suspensão do delegado que era responsável pela investigação.