Em um depoimento cheio de graves denúncias, o presidente do Sindicato dos Usuários de Transporte Coletivo Rodoviário, Hidroviário, Aéreo do Estado do Maranhão (SINDUTCOL-MA), Paulo Henrique da Silva, apontou, na tarde desta terça-feira (08), à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Coletivo da Câmara de São Luís, uma série de deficiências no sistema de ônibus da cidade.

O representante dos usuários opinou sobre soluções para a diminuição da tarifa e fez acusações verbais de corrupção dentro da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), envolvendo o empresário Manuel Cruz, que presta serviços de consultoria à pasta. “O usuário da capital maranhense não aguenta mais ser transportado como sardinha em lata, pagando caro por isto”, declarou.

Em resposta a questionamento dos membros do colegiado, Paulo Henrique afirmou que o sistema piorou após a licitação de 2016 e revelou que alguns “ônibus que já estavam operando em algumas linhas foram entregues como novos”. “Tudo que estou falando aqui, eu posso provar, com base em documentos que constam em relatório que vou disponibilizar à CPI”, completou.

Revelação de Suborno

Paulo Henrique revelou uma suposta prática de suborno envolvendo o consultor Manuel Cruz com lideranças comunitárias para evitar manifestações contra os péssimos serviços prestados pelos consórcios que operam linhas nas comunidades. Ele destacou que o consultor é um verdadeiro manipulador dentro da SMTT.

O depoente revelou ainda que 60% dos ônibus novos, que foram entregues à população nos últimos dois anos, estão nas garagens. “Senhores, o prefeito Eduardo Braide está sendo manipulado por algo que ele não conhece”, pontuou Paulo Henrique.

Ao final do depoimento, o representante dos usuários de transporte entregou um vasto relatório com provas das denúncias que apresentou. Ele também defendeu a regulamentação do transporte alternativo. “No momento de sofrimento da greve de ônibus, são eles [trabalhadores do alternativo] que nos socorrem”, afirmou.

Próxima reunião

Diante das graves denúncias, a CPI resolveu aprovar a convocação do empresário Manuel Cruz, consultor de trânsito e transporte da SMTT, para que ele possa esclarecer as acusações que também já haviam sido apontadas por outros depoentes. A próxima reunião do colegiado está marcada para a tarde da próxima terça-feira, 15.

A audiência foi presidida pelo vereador Chico Carvalho (PSL), presidente da CPI. Durante a oitiva, o convidado respondeu a questionamentos do vereador Octávio Soeiro (Podemos), secretário do colegiado; e do co-vereador do Coletivo Nós (PT), Jhonatan Soares, que integra a comissão como membro.

CPI 

A Comissão Parlamentar de Inquérito foi instalada no dia 6 de dezembro de 2021 com o objetivo de apurar a licitação e os contratos de concessão aos empresários que operam o sistema de transporte público na capital. O colegiado terá o prazo máximo de 60 dias para conclusão dos trabalhos, com a possibilidade de prorrogação por igual período – quando solicitada pelos próprios integrantes do colegiado.