Os rodoviários de São Luís entraram em greve a partir desta quarta-feira (16). A categoria, que pede um reajuste salarial de 15%, alega que não chegou a um acordo com o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (SET).

Além do reajuste nos salários, a categoria reivindica ainda tíquete-alimentação no valor de R$ 800, inclusão de um dependente no plano de saúde, regularização dos salários atrasados e ainda que sejam assegurados os empregos dos cobradores de ônibus.

Nessa terça-feira (15) o Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região determinou que o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema) mantenha 80% da frota do transporte público na Região Metropolitana de São Luís em circulação durante a greve que foi deflagrada nas primeiras horas desta quarta.

As decisões liminares são do desembargador Luiz Cosmo da Silva Junior, que atendeu a um pedido do Município de São Luís, e da desembargadora Solange Cristina Passos de Castro, após requerimento do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET).

Caso não cumpra o mínimo de 80% da frota do transporte público em circulação na Região Metropolitana de São Luís ou faça algum protesto como a circulação de veículos sem cobranças de passagens, “Operação Tartaruga, barricadas nas portas de garagens ou impedir rodoviários que não queiram aderir ao movimento grevista, o Sttrema pagará uma multa diária de R$ 50 mil.

Por meio de nota a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) informou que o Município de São Luís vem cumprindo o acordo firmado em novembro do ano passado com os sindicatos dos empresários e rodoviários, no repasse do auxílio emergencial ao sistema de transporte público, no valor de R$ 4 milhões mensais.

 A SMTT também informa que o auxílio emergencial foi prorrogado por mais dois meses (fevereiro e março), totalizando R$ 20 milhões ao setor em cinco meses.

Em outubro do ano de 2021 os Rodoviários deflagraram a maior greve geral já registrada na Grande Ilha de São Luís, quando 100% dos ônibus não rodaram por 12 dias.

Informações: G1 Maranhão