O caso ocorrido na cidade de Penápolis, interior de São Paulo, nesta segunda, 14, deixou toda a região revoltada com a situação da bebê Mirella Fernanda de apenas 1 ano. A criança deu entrada no pronto-socorro da cidade durante a tarde de segunda-feira.

Segundo o boletim de ocorrência que foi lavrado, a bebê já chegou no local com rigidez cadavérica, indicando que a morte não tenha ocorrido naquele momento. Além disso, no corpo da bebê haviam inúmeras marcas roxas e também dilaceração do ânus.

A médica do pronto-socorro que estava de plantão no momento que bebê chegou, percebeu os sinais de violência acionou a Polícia Militar para ficarem cientes da situação.

Assim que a polícia chegou ao pronto-socorro questionaram a mãe e o padrasto da criança. Eles alegaram que colocaram a bebê para dormir no domingo(13) e só perceberam que a menina estava morta no dia seguinte.

Logo após uma rápida entrevista a polícia entrou em contado com o Conselho Tutelar da cidade e acabaram descobrindo que já haviam várias denúncias de maus-tratos à pequena Mirella Fernanda.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso e está aguardando o laudo pericial.

A população de Penápolis se revoltaram e foram às ruas para se manifestarem pedindo justiça pela morte da criança.

O delegado do caso esclareceu que precisa esperar o resultado do laudo para pedir a prisão do casal que são os principais suspeitos

*Fonte:SoudePalmas