Os rodoviários e empresários do setor de transporte público de São Luís não chegaram a um acordo durante a audiência de conciliação realizada nesta quarta-feira (18).

Sem acordo, a greve no transporte coletivo deve continuar em São Luís durante o final de semana.

A reunião foi realizada em formato telepresencial e durou cerca de três horas. A relatora foi a desembargadora Solange Cristina Passos de Castro, do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (TRT-MA).

Também participaram da reunião representantes da Procuradoria Geral do Município de São Luís (PGM), da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB) e o procurador do trabalho, Roberto Moreira.

De acordo com a desembargadora Solange Cristina Passos, a paralisação da frota é considerada ilegal e inaceitável, por se tratar de um serviço essencial para a população. Ela afirmou, que ainda nesta sexta-feira, deve divulgar uma decisão sobre a paralisação.

Reajuste

A Justiça do Maranhão negou nesta sexta-feira os pedidos protocolados pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET) solicitando que a Prefeitura de São Luís concedesse reajuste a tarifa do transporte público.

A decisão também negou o pedido, feito pelo SET, de que o Município de São Luís apresentasse documentos que comprovem o valor do combustível e do custo de mão de obra, incluindo custos com plano de saúde e demais encargos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho.