Em consequência das fortes chuvas que tem atingido o estado, vinte e quatro cidades maranhenses decretaram situação de emergência. As regiões mais afetadas são da Baixada Maranhense e Região dos Cocais, que tem levado ao isolamento de comunidades e deixando famílias desabrigadas.

O acesso a seis povoados da zona rural de Pedreiras desapareceu. Com a maior cheia do Rio Mearim deste ano, só dá para chegar as comunidades de barco. 101 famílias estão isoladas. A Defesa Civil está usando drones para fazer o monitoramento desses locais e botes para transportar os moradores. O trabalho de retirada dos ribeirinhos continua. Nessa sexta-feira (18) foi mais um dia de mudança para quem mora nos bairros mais próximos do rio.

São quase mil pessoas afetadas pelas chuvas. Destas 295 estão desabrigadas ou desalojadas. Uma casa que desmoronou com o temporal da última quarta-feira (16) está interditada e será demolida. Em Bacabal, o Rio Mearim subiu e ruas ficaram alagadas. Na Baixada Maranhense, uma enxurrada assustou os moradores da cidade Pinheiro, onde casas também foram invadidas pela inundação.

Em Pedro do Rosário o nível do Rio Turiaçu subiu e deixou 500 pessoas desabrigadas. A cratera que se abriu na MA-006 foi fechada e o trânsito liberado. Na Região dos Cocais as autoridades estão em alerta. Esta semana o Rio Itapecuru registrou a maior elevação do ano e passou da cota de inundação. A água baixou, mas pode voltar a subir por causa da previsão de chuvas enviada pelo Serviço Geológico do Brasil.

Informações: G1 Maranhão