O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) criticou, na sessão plenária desta terça-feira (22), no Pequeno Expediente, supostas ações realizadas pelo Governo do Estado contra o reajuste de 21,7% para os servidores públicos e aposentados.

Segundo o parlamentar, o governador Flávio Dino (PSB) “tem perseguido e prejudicado os servidores públicos e aposentados do Maranhão”. “Desde 2017 que estamos na luta para que o Governo do Estado possa reajustar o salário em 21,7% e mais os 5,4% da URV. E o governador tem feito de tudo para barrar esse aumento”, afirmou.

ICMS

Wellington também acusou o governador de tentar barrar a redução da alíquota do ICMS em todo o Brasil. “O projeto de lei já foi aprovado no Congresso Nacional e os governadores, encabeçados por Flávio Dino, estão tentando impedir essa redução. O governador quer prejudicar os trabalhadores”, disse o deputado. 

Ele cobrou, ainda, explicações do Governo do Estado sobre as tentativas de barrar a redução da alíquota do ICMS dos combustíveis. “O governador diz que a redução do ICMS vai diminuir a arrecadação, mas isso só aumenta a cada mês, a cada ano, e não há nenhuma benfeitoria para a população”, completou.

Ações na Justiça

Em pronunciamento no Grande Expediente, o deputado informou que está sofrendo perseguição por parte de membros do Governo e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Pública Estadual e Municipal do Maranhão (SINPROESEMMA). “Vou ingressar com ações na Justiça por crime de injúria e difamação contra o presidente do SINPROESEMMA e o secretário estadual de Educação, Felipe Camarão. É preciso que se respeite a liberdade do Parlamento”, frisou.

Ainda conforme o parlamentar, o secretário e o sindicalista terão de provar na Justiça qual foi o documento que ele fraudou. “Estão espalhando que eu fraudei documentos. Tudo isso tem que ser esclarecido. Eles estão querendo me calar, mas não vão conseguir”, concluiu o parlamentar.

Informações: Agência Assembleia