Um grupo criminoso especializado em fraudar benefícios da Previdência Social em Minas Gerais foi alvo da Operação Dupla Face, da Polícia Federal (PF). A ação é realizada em conjunto com a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista, do Ministério do Trabalho e Previdência.

Policiais federais cumpriram hoje (23) quatro mandados de busca e apreensão, nos municípios mineiros de Vespasiano, Ribeirão das Neves e Itambé do Mato Dentro. As ordens judiciais foram expedidas pela 4ª Vara Federal de Belo Horizonte.

As investigações revelaram que o modus operandi dos criminosos consistia em falsificar certidões de nascimento, documentos de identidade e comprovantes de residência, criando beneficiários fictícios.

As fraudes envolveram a concessão de, pelo menos, 16 benefícios, tais como o de amparo ao idoso de baixa renda, pensão por morte, auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e aposentadoria por idade. O prejuízo causado ao erário é superior a R$ 2,7 milhões, segundo a PF.

O nome Dupla Face é uma alusão ao modus operandi dos criminosos, pois, em algumas das fraudes, constatou-se que os benefícios foram fraudados duas vezes – um benefício fraudado, que havia sido suspenso por falta de prova de vida, chegou a ser reativado, com a inserção de novos documentos falsos, com a fotografia de outra pessoa.

Informações: Agência Brasil